Generic selectors
Apenas Busca Exata
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
post
Generic selectors
Apenas Busca Exata
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
post

O que fazer em Nashville, a Cidade da Música

Nesse Post você vai ver

Depois da nossa passagem por Memphis, estivemos em Nashville, a capital do estado do Tennessee durante a nossa road trip saindo de Orlando e passando por 9 estados em 10 dias.

Nashville é conhecida como a Cidade da Música. Ela foi ganhando esse título desde o início do século XX quando o famoso programa Grand Ole Opry já era transmitido ao vivo de lá.

E essa fama só aumentou e realmente até os dias atuais a cidade respira música, não só na história, mas nas atrações e também na sua famosa rua chamada Broadway, onde os bares tocam música ao vivo o dia inteiro.

Um cidade vibrante e onde as pessoas usam seus trajes country normalmente na rua a qualquer horário do dia.

Veja também outras cidades nos Estados Unidos

Programe aqui sua viagem

Antes de começar o post, vou deixar algumas recomendações de sites para você definir itens para a sua viagem:

E já vou deixar aqui um vídeo sobre a nossa visita a Nashville que está no nosso canal do Youtube. Não deixe de assinar o canal e habilitar o sininho para receber os vídeos em primeira mão.

Como é Nashville

Nashville é a maior cidade do Tennessee e é a 21ª cidade mais populosa dos Estados Unidos. Fundada em 1779, tem esse nome em homenagem a Francis Nash, um soldado da Revolução Americana.

A cidade teve um rápido crescimento em função do porto no Rio Cumberland, importante afluente do Rio Ohio, que corta a cidade. Em 1800 a cidade tinha menos de 350 habitantes, sendo quase metade deles negros escravos. Os mercados de venda de escravos eram comuns na cidade e eram esses escravos que trabalhavam nas plantações de tabaco e cânhamo. Nashville era importante na produção de ferro também,  o que a manteve como uma das cidades mais ricas do sul dos Estados Unidos no século XIX. Mesma época que ganhou uma linha ferroviária.

Justamente pela sua importância e localização estratégica, Nashville foi uma das primeiras cidades tomadas pelas Forças da União, tropas que lutavam contra os Estados Confederados na Guerra Civil Americana. Os Estados Confederados eram os que defendiam a manutenção da escravidão.

Durante a guerra, Nashville sofreu uma estagnação, porém depois que a Guerra Civil e a escravidão acabaram, a cidade retomou o seu crescimento. Ao mesmo tempo apresentava demonstrações de crueldade da Ku Klux Klan, que foi formada por homens racistas, contrários à abolição de escravidão. A segregação racial continuou na cidade até os anos 70.

Hoje Nashville é uma das cidades cuja economia mais cresce nos Estados Unidos.

A fama de Cidade da Música começou no início do século XX com a fundação do Grand Ole Opry em 1925 que lançou inúmeros artistas musicais, principalmente do country. De lá era transmitido ao vivo um famoso programa de rádio semanal. E até hoje ainda é um centro importante da música americana.

O que fazer em Nashville

Country Music Hall of Fame and Museum e RCA Studio

O museu da música country e os estúdios da gravadora RCA são um dos programas mais famosos da cidade. Na verdade eles são lugares diferentes, porém o ingresso é vendido junto. No prédio do museu, que por sinal é lindo formando um piano, é possível visitar nos seus 3 andares absolutamente tudo sobre a música country americana. Claro que muitos artistas nós, brasileiros, não temos familaridade, principalmente os mais antigos, mas bem provavelmente já ouvimos falar de vários como Dolly Parton, Johnny Cash, June Carter, Billy Ray Cyrus (pai da Miley Cyrus), Taylor Swift (sim, ela tem raízes na country music), Chris Stapleton e até Elvis Presley. Para quem não sabe, Elvis tem origem na música country e gospel. O local é incrível, mesmo para quem não curte muito o estilo. Lá eles mostram a evolução dos instrumentos, roupas, objetos e o desenvolvimento da música country, que impactou diversos artistas ao redor do mundo. O tempo que você vai gastar no museu vai depender do seu interesse pelo assunto. Não conhecíamos tantos artistas assim, e nem somos tão fãs do estilo, mas já gastamos 1,5 hora.

Caso opte pelo tour no estúdio B da RCA, ao chegar no museu será marcado o horário que sairá o ônibus da porta do museu e que levará até o estúdio, num trajeto de uns 15 minutos. Um guia vai junto explicando tudo. Ao chegarmos lá nos deparamos com um estúdio relativamente pequeno comparado ao tamanho da história desse lugar. Esse estúdio foi construído em 1957 e é considerado um dos maiores estúdios de gravação do mundo. Tinha avançada e moderna teconlogia de som. Ficou em operação por 20 anos e produziu 60% dos sucessos da Billboard no período. Grande parte dos sucessos da carreira de Elvis Presley foram gravados ali. Aliás mais de 35 mil canções de diferentes artistas foram gravados nos estúdios da RCA e muitas geraram centenas de prêmios. A parte ruim do tour, claro, é o idioma. O guia fala tudo numa rapidez doida, são milhares de informações, muitos nomes, datas, números e termos técnicos que confesso que só quem é fluente mesmo para entender. Perdemos algumas informações, mas não comprometeu a visita. A emoção de estar no mesmo local, com os mesmos instrumentos usados por grandes astros da música e indescritível. O guia coloca algumas músicas no auto-falante, regula as luzes e ouvimos trechos de algumas canções que foram gravadas ali. Bem interessante. Lembrando que alguns dos astros que fizeram muito sucesso na RCA começaram suas carreiras no Sun Studio, que visitamos em Memphis, portanto as duas cidades se completam. Endereço do Music Country Museum: 222 Rep. John Lewis Way S. Funciona diariamente das 9h às 17h. Comprar ingresso para o Country Music Hall of Fame and Museum e RCA Studio aqui.

Johnny Cash Museum

Esse é um museu sobre o cantor Johnny Cash. Se você não conhece, sugiro assistir ao filme Johnny e June onde Joaquin Phoenix interpreta o Johnny Cash. É um cantor muito famoso, que iniciou carreira no Sun Studio em Memphis e posteriomente se mudou para Nashville. Conhecido como Homem de Preto, gravou centenas de músicas. Uma das mais famosas é Folsom Prison Blues, que fala de um homem preso na Prisão Folsom. Algum tempo depois Cash gravou um disco ao vivo na Prisão Folsom tamanho era o carinho que os presos tinham por ele. O museu é interessante e com bom acervo, porém, depois que você conhece Graceland e ver o tamanho do acervo de lá, o museu do Johnny Cash parece pequeno, mas na verdade é o do Elvis que é gigantesco. Mesmo que conheça pouco da carreira do Cash, se assistir ao filme, vai encontrar no museu diversas passagens mostradas no filme. Acho que vale a visita, mas você tem que pelo menos ter assisitido ao filme ou saber algo da vida dele, senão o museu se torna sem sentido. Ficamos em torno de 1 hora lá. Ao lado do museu tem um restaurante que leva o nome dele, mas não comemos lá. Serve churrasco americano. Endereço: 119 3rd Ave S. Funciona diariamente das 9h às 19h. Comprar ingresso do Johnny Cash Museum aqui.

Broadway e seus honky-tonks

Broadway é a avenida mais famosa de Nashville. E ela é cheia de “honky-tonks”, que são bares com música ao vivo. A maioria toca, claro, música country, mas rolam vários estilos musicais também. Em praticamente todos eles tem música ao vivo o dia inteiro. Muitos servem comidas também, como churrasco americano, lanche e petiscos. Na maioria das vezes são de ambiente familiar, mas alguns não permitem a entrada de menores ou tem espaços/andares reservados para familías com crianças e adolescentes. Fomos a um com a minha filha de 16 anos e foi bem tranquilo. Dependendo do dia essa rua ferve. Muita gente circula com botas, chapéus e cintos de cowboy.

Ryman Auditorium

O Ryman é um prédio bonito e super antigo no centro de Nashville. Foi construído em 1892 por Thomas Ryman e era originalmente uma igreja. Frequentemente o local era locado para realização de outro tipo de shows, principalmente após 1904 quando Thomas Ryman faleceu e a renda era destinada para pagar as dívidas originárias da sua construção. Entre os anos 20 e 40 recebeu diversos eventos importantes no local, que conta com capacidade para mais de 2.300 pessoas.

Nesse meio-tempo o Grand Ole Ophry era um programa de rádio já muito famoso transmitido ao vivo, mas sem a presença de público. Porém, pessoas se aglomeravam na porta da emissora WSM para assistir aos cantores se apresentando. O público começou a ficar grande demais para ser acomodado na emissora e mudaram o local de transmissão do programa. Após 2 ou 3 lugares diferentes, a transmissão do Grand Ole Opry foi transferido para o Ryman Auditorium, onde ficou por 31 anos, até 1974, revelando diversos artistas da música country. Por esse motivo e por ter sido uma igreja, o Ryman é conhecido como “A Igreja Mãe da Música Country”.

O prédio quase foi demolido, mas contou com o apoio de políticos locais e hoje é considerado patrimônio histórico. O Ryman ficou em situação de quase abandono até 1993, quando ocorreu uma grande restauração. Mas foi em 2015, depois de outra grande reforma, que ele se tornou uma verdadeira casa de espetáculos moderna, porém sempre mantendo características originais, como os bancos de igreja de madeira. A manutenção do Ryman e outras novas construções colaboraram para a revitalização do centro de Nasville, antes decadente.

Artistas e bandas como Foo Figthers, Cold Play, Bob Dylan, Taylor Swift, Bruce Springsteen, Paul Simon e outros se apresentaram lá depois da reforma. Deve ser legal assistir a um show lá, mas nós só fizemos o tour, que começa numa sala onde é apresentado um pequeno vídeo bem dinâmico sobre a história do Ryman e em seguida podemos explorar o prédio. Muito legal ver os elementos de igreja, com mais de 130 anos e de casa de show. Um prédio muito interessante e bonito. Endereço: 116 Rep. John Lewis Way North. O tour funciona diariamente das 10h às 16h. Comprar ingressos do Ryman Auditorium aqui.

Museu de Cera Madame Tussauds

O museu de cera Madame Tussauds geralmente não tem tanta novidade para quem já viu outros ao redor do mundo, porém esse é bem interessante, pois só conta com esculturas de artistas da música. Portanto é um Madame Tussauds super temático e a cara de Nashville. Achamos muito mais legal do que o de Orlando, por exemplo, que é um apanhado de diversas celebridades. Além disso, as salas são divididas por temas:  Grand Ole Opry, Rádio WSM, rock’n’roll, jazz, pop e muitas outras. Uma das unidades mais legais que já visitamos. Endereço: 515 Opry Mills Dr (dentro do shopping Opry Mills). Funciona diariamente das 11h às 19h. Comprar ingresso do Madame Tussauds aqui.

Pathernon e Centennial Park

Nashville é conhecida também como Atenas do Sul, e parte desse apelido é por conta da réplica em escala real do Pathernon construída em 1897 no Centennial Park, um dos principais parques da cidade. Hoje, a estrutura, construída temporariamente para a Exposição do Centenário do Tennessee, abriga um museu. Não visitamos o museu, mas estivemos no parque, que conta com diversas áreas verdes. Endereço:  2500 West End Ave.

John Seigenthaler Pedestrian Bridge e Cumberland Park

Nashville conta com uma ponte exclusiva para pedestre que cruza o importante rio Cumberland, é a John Seigenthaler Pedestrian Bridge. É legal cruzar a ponte e chegar ao Cumberland Park, de onde se tem uma linda vista da cidade. O estádio do time da NFL Titans fica no parque e se for temporada, ainda dá para assistir a um jogo ali.

Visitar uma destilaria

O Tennessee é muito tradicional da produção de whisque e bourbon. Primeiro pela qualidade, segundo pela história envolvendo a Lei Seca nos Estados Unidos e as formas que eram usadas para burlar a lei e comercializar os destilados. E mesmo após diversos momentos históricos de restrição da produção e comercialização da bebida, existem algumas destilarias em Nashville e região. Uma delas é a própria Jack Daniels, que fica aproximadamente 1,5 hora de Nashville. Mas nos optamos por visitar uma destilaria pequena e artesanal e que fica em Nashville, mesmo, a Pennington Distilling. Lá é possivel fazer uma degustação de até 4 bebidas à sua escolha produzidas por eles e também o tour na destilaria. Claro que crianças não podem fazer a degustação, mas podem fazer o tour normalmente. Essa experiência custa US$20 e dura aproximadamente 1 hora. É possível adquirir bebidas ali mesmo, caso queira. Essa destilaria é bem pequena; para se ter uma noção, eles produzem em 1 ano o que a Jack Daniels produz em 1 único dia, então se você quer conhecer uma destilaria artesanal, vale muito a pena. Se prefere marcas conhecidas e deslilarias grandes, melhor ir até a Jack Daniels, mesmo. Funciona de terça a sábado, das 11h às 17h. Endereço: 900 44th Ave N.

Ir até o Kentucky 

A fronteira com o estado do Kentucky fica a uns 30 minutos de Nasvhille, então quem acha legal dizer que já esteve em vários estados, vale a pena cruzar a fronteira. De repente até fazer uma refeição por lá.

Onde ficar em Nashville

Em cidades grandes como Nashville acho que um hotel bem localizado é essencial, pois os estacionamentos geralmente são bem caros.

Vou deixar a indicação de alguns hotéis aqui e se você reservar seu hotel pelos links daqui através do Booking eu recebo uma pequena comissão. Ficarei muito grata e você não paga nada a mais por isso.

Nós ficamos no The Capitol Hotel localizado no coração do centro de Nashville. Em 5 minutos de caminhada estávamos na Broadway e de lá é possível visitar o Museu Country e do Johnny Cash e até a ponte John Seigenthaler. O Capitol Hotel é uma opção acessível e conveniente para quem busca uma hospedagem bem localizada. O hotel oferece quartos confortáveis e básicos, mas limpos e com todas as comodidades essenciais. Tem uma recepção pequena, mas super moderna, decorada com elementos da música, combinando com o tema da cidade. O café da manhã é gratuito, mas o estacionamento é pago. Diárias a partir de $200 por noite. Estacionamos o carro lá e fazíamos quase tudo a pé; foi super prático. Foi uma ótima opção!

Super localizado, porém um pouco mais caro indico o Hyatt Place Nashville Downtown. É um hotel moderno e confortável com decoração bem clean. Oferece café da manhã continental gratuito e um bar no local. Estacionamento é pago à parte. A partir de $350 por noite.

Para quem quer ficar na mesma região, mas procura algo mais elaborado tem o Noelleque é um hotel boutique incrível localizado no centro de Nashville, a poucos passos das principais atrações turísticas da cidade. O hotel oferece quartos elegantes e bem decorados, um restaurante de alto nível e um bar no terraço com vista para a cidade. Realmente um hotel diferenciado. Não oferece café nem estacionamento gratuitos. A partir de $450 por noite.

Ainda na mesma faixa de preço tem o 21c Museum Hotel, outro hotel boutique também localizado no centro, bem perto das atrações turísticas com quartos elegantes e modernos. O hotel também possui uma galeria de arte no local, com exposições rotativas de artistas contemporâneos. Algumas tarifas incluem o café da manhã. Estacionamento é cobrado à parte. Diárias a partir $450.

Ainda mais sofisticado tem o The Hermitage Hotel, um dos hotéis mais luxuosos de Nashville, localizado no coração do centro da cidade. O hotel conta com quartos espaçosos e muito bem decorados, um restaurante de alta gastronomia e um bar no terraço com vista para a cidade. Porém, as diárias são salgadas, a partir de $700.

Para quem quer ficar perto do centro, mas não se incomoda de pegar um carro ou Uber, ou mesmo em andar uns 20 minutos, tem opções no bairro Gulch e Sobro, como o Thompson Nashville, um hotel moderno e elegante a poucos minutos de carro do centro da cidade. O hotel oferece quartos espaçosos e bem decorados, um restaurante de alto nível e um rooftop. A partir de $470 por noite.

Localizado em uma antiga estação de trem, tem o Union Station Hotel que é um hotel histórico e muito lindo . Com quartos espaçosos e sofisticados, o hotel possui um restaurante no local e está a uma curta distância do centro da cidade e das principais atrações turísticas da cidade. Diárias a partir de $450.

Para quem curte hotel temático, tem o Margaritaville Hotel Nashville, que é um hotel inspirado na música e estilo de vida do cantor Jimmy Buffett. Localizado no bairro de SoBro, a 10 minutos andando das principais atrações turísticas. O hotel tem quartos coloridos e despojados, bem como um bar e restaurante temáticos no local. A partir de $370 por noite.

E para quem procura algo nessa região, mas com preço melhor, tem o Fairfield Inn & Suites Nashville Downtown/The Gulch. Apesar de mais econômico, ainda é uma opção confortável e bem localizada. O hotel oferece café da manhã continental gratuito e está a uma curta distância do centro da cidade. A partir de $270 por noite.

Do outro lado da ponte John Seigenthaler, perto do estádio tem duas opções bem acessíveis. Uma é o Comfort Inn Nashville Downtown – Stadium, que oferece quartos básicos, mas confortáveis e limpos e que possuem frigobar e microondas. Também oferece café da manhã continental gratuito e por incrível que pareça estacionamento grátis. E por uma diária bem interessante: a partir de $160 por noite.

E bem pertinho dele tem o La Quinta Inn & Suites by Wyndham Nashville Downtown Stadium, que conta com piscina coberta. Apesar de ter uma tarifa mais alta que o anterior, cobra o estacionamento. Diárias a partir de $180, com café da manhã.

Já o Gaylord Opryland Resort & Convention Centerque é um resort icônico de Nashville, oferece uma experiência totalmente diferenciada. Com mais de 3.000 quartos, o Gaylord Opryland conta com jardins internos, canais navegáveis, lojas e restaurantes no local. Uma opção destinada a quem quer curtir a estrutura que o hotel tem a oferecer. Fica na região do Grand Ole Opry, a 20 minutos de carro do centro turísticos da cidade. A partir de $400 por noite.

E por último, a poucas quadras do Centennial Park, localizado no coração de West End, tem o Hutton Hotelque oferece quartos elegantes e modernos, com vista para a cidade. O hotel possui um restaurante e bar no local, bem como um spa e centro de fitness, porém cobra café e estacinamento. Diárias partir de $200.

Onde comer em Nashville

Quando eu estava pesquisando onde comer em Nashville, percebi que eram pouquíssimas as indicações unânimes, ou seja, não existiam 3 ou 4 restaurantes que apareciam em todos os posts e guias. Eram sempre restaurantes diferentes que as pessoas conheceram e indicam, mas quase nada “imperdível”. O único que aparecia em todos os lugares foi o Hattie B’s, um restaurante de frango frito que é muito popular em Nashville. Eles oferecem frango frito tradicional, bem como opções mais picantes para aqueles que gostam de um pouco mais de tempero. Eles também têm acompanhamentos clássicos como batatas fritas, salada de repolho e pão de milho. O ambiente é casual e descontraído, com um toque de estilo sulista. Eles possuem algumas unidades na cidade; nós comemos na unidade da Broadway. Funciona diariamente para almoço e jantar. Preço médio $15 por pessoa. Endereço: 112 19th Ave S.

No mesmo shopping onde fica o Hattie B’s, se você for fã de comida japonesa, tem o Blue Sushi Sake Grill que oferece uma variedade de pratos de sushi, incluindo sushi tradicional, bem como opções mais criativas, como o sushi de atum com jalapeño ou o sushi com queijo de cabra. Nós pedimos rolls e ceviche. Eles também têm um menu de happy hour diário com preços reduzidos em bebidas e pratos selecionados. Abre diariamente para almoço e jantar. Preço médio $20. Endereço: 5036 Broadway Pl, Suite 220.

Ainda no mesmo shopping, experimentamos o Blanco Cocina, um restaurante de comida mexicana moderna com um ambiente animado e descontraído. O menu apresenta uma variedade de pratos clássicos mexicanos, bem como opções criativas, como tacos de frango com abacaxi. Eles também têm uma extensa lista de coquetéis de tequila, margaritas e outras bebidas. Nós pedimos tacos com diferentes acompanhamentos e uma porção de guacamole. Aberto diariamente para almoço e jantar. Preço médio $23. Endereço: 530 Broadway.

Do outro lado da rua, conhecemos o Merchants, um restaurante que oferece uma variedade de pratos americanos clássicos e contemporâneos. O ambiente é sofisticado, com uma decoração elegante e moderna. O menu inclui pratos como costela de porco defumada, bife com batatas fritas, e salada de frango com abacate. Eles também oferecem uma ampla seleção de vinhos, cervejas e coquetéis. Um detalhe importante: eles contam com praticamente dois restaurantes no mesmo prédio. No primeiro andar fica o bistrô, que foi o que conhecemos e no segundo andar é um ambiente (e cardápio) mais refinado e caro também. O bistrô abre diariamente para almoço e jantar; já o segundo andar só abre para jantar. Preço em torno de $30 por pessoa. Endereço: 401 Broadway.

Rippy’s foi o honk tonk que optamos por visitar, para jantar, tomar uma cerveja e apreciar música country ao vivo. Percebemos que aceitavam menores de 18 anos e eles nos direcionaram para o segundo andar. Acredito que o primeiro andar seria para maiores. Então como estávamos com a minha filha, optamos por um honk tonk que tivesse mais cara de restaurante do que de bar e o Rippy’s nos atendeu bem. Localizado no coração da cidade, o Rippy’s oferece uma variedade de pratos tradicionais, como costelas defumadas, frango frito e sanduíches de carne de porco desfiada, porém o cardápio é limitado e tudo é bem simples, com pratos e talheres descartáveis. Se prefere algo mais “formal”, esse não é uma opção. Abre diariamente para almoço e jantar. Preço em torno de $20. Endereço: 429 Broadway.

Bavarian Bierhaus é o único restaurante fora da Broadway que visitamos; ele fica no mesmo shopping onde fica o Madame Tussauds. Trata-se de um um restaurante alemão autêntico que oferece uma grande variedade de cervejas e pratos clássicos da culinária alemã. O ambiente é acolhedor e aconchegante e muito típico, com mesas de madeira e decoração temática. O menu inclui pratos tradicionais na Alemanha. Nós pedimos joelho de porco com chucrute, que é um prato geralmente servido somente em restaurantes bem especializados, devido à complexidade no preparo. Abre para almoço e jantar. Preço em torno de $25. Endereço: 121 Opry Mills Dr.

Nossa opinião sobre Nashville

Uma coisa impressionante que percebemos como Memphis, que visitamos na mesma semana, é tão distinta de Nashville. São cidades completamente diferentes. Memphis é mais séria e até meio melancólica. Já Nashville é bem vibrante e muito animada. Uma cidade maior e até mais bonita.

Nós gostamos muito. A pegada musical dá uma energia extra na cidade. Sem dúvida vale a visita e voltaremos uma hora.

Andreza Trivillin

Andreza Trivillin

Paulistana, nascida na Moóca, moradora do Ipiranga por mais de 20 anos até se mudar para Orlando. Administradora de Empresas formada pela FAAP, com MBA em Marketing pela ESPM. Mãe de uma, esposa de outro. Apaixonada por viagens, fã da Disney, curiosa e engraçadinha por natureza. Juntou tudo isso e deu um blog e numa agência de viagens que ajudam anualmente milhares de pessoas com as suas viagens para Orlando e outros destinos.

perfil no Insta

Artigos relacionados

Viaje com a Andreza!

Contrate seus serviços e experiência de mais de 30 anos em Orlando e seja feliz na terra da magia!

Receba dicas, promoções e atualizações do blog direto no seu e-mail.

Generic selectors
Apenas Busca Exata
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
post

Guia de Orlando

É o único Guia de Orlando impresso
escrito por quem realmente conhece
e frequenta os parques!

GOSTOU DO ARTIGO? COMENTE!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *