/ Necessidades especiais

Pessoas com necessidades especiais na Disney – A viagem da Ana Beatriz, cadeirante


Trazemos mais um lindo relato de uma família que foi a Orlando com um deficiente físico. Veja aqui todos os relatos. Hoje a Ana Paula conta a viagem da sua filha Ana Beatriz, que é cadeirante e não pode andar.

Eles fizeram uma viagem super normal; sem quarto adaptado e sem passe para furar as filas das atrações. E mesmo assim foi tudo tranquilo e a Bia se divertiu muito. E como qualquer menina da sua idade, ela quis encontrar as princesas e fez sua transformação na boutique. Ana Paula, é com você:

Como é o nome da pessoa e quais são asnecessidades especiais / problemas de saúde que ela possui?

Ana Beatriz (Bia), tem 9 anos. Ela nasceu de 26 semanas com pouco mais de 900 gramas, teve hemorragia cerebral, e hidrocefalia, afetando a parte motora dela, principalmente membros inferiores, ela não consegue andar, nem ficar de pé. Mas não possui nenhum outro problema de saúde.

ana paula

Quem viajou junto com ela?

Fomos eu (Ana Paula), meu marido (Carlos), meu filho (Pedro), e minha mãe (Stella).

Como foi o voo? Eles estavam preparados para atender as necessidades da pessoa? Como ela reagiu ao voo? Foi a primeira vez que viajou de avião / voo longo?

Fomos de TAM. Tudo correu muito bem; tripulação em terra muito cordial. Minha filha foi com a cadeira dela até a porta da aeronave, chegando em Orlando tinha uma funcionária do aeroporto esperando com uma cadeira de rodas, que nos acompanhou até uma esteira menor onde pegamos a cadeira da minha filha. Alfândega tranquila. O voo foi tranquilo, sem restrições alimentares; pedi prato kids, mas minha filha dormiu a viagem toda, só acordou pouco antes de chegarmos.

ana paula2

Qual foi a hospedagem escolhida? Quais foram as vantagens ou limitações que encontraram nessa opção?

Escolhemos ficar num hotel que tivesse cozinha, sala… mais pela nossa comodidade. Ficamos no Lake Eve, que fica na International Drive. Gosto muito desse hotel, já havíamos ficado lá anteriormente.

Logo no check-in eles fizeram um cartão de estadia para estacionar em vaga especial no hotel. Atendimento perfeito, muito educados e atenciosos. Não optamos por pegar quarto adaptado; foi um quarto normal e com banheira, gostamos muito.

Alimentação foi um problema? Se sim, como contornaram?

A alimentação da Bia é normal; ela come de tudo, então não tive nenhum problema.

Como foi o acesso aos parques? Estacionamento, acessibilidade, benefícios… Receberam o cartão preferencial? Como foi para retirá-lo e que benefícios ele oferecia? Foi importante para vocês?

Primeiro parque que fomos foi no Magic Kingdom. Logo no estacionamento informamos que nossa filha usava cadeira de rodas e nos indicaram a seguir a linha azul. Como em nosso carro não tinha nenhuma identificação de deficiente físico, fui falar com um segurança e ele muito delicado disse para não me preocupar que ele estava vendo, disse para aproveitar o dia e ser feliz!!! E assim foram nos outros dias e em parques diferentes.

Minha filha não quis tirar foto com Mickey, Minnie… as 2 únicas que chamaram a atenção dela foi a Branca de Neve, que por sinal foi um doce com ela, perguntando se a Bia sabia o nome dela e que queria a cadeira dela… Minha filha se sentiu o máximo! E a outra princesa que ela quis tirar foto foi com a Aurora, que depois me falaram que não precisava ficar na fila, bastava ir no Guest Service e pegar o cartão para acesso prioritário, mas acabei nem indo… Estávamos passeando; nos curtindo.

ana paula4

Na sua opinião como é o atendimento a pessoas com necessidades especiais? Esse atendimento é igual em todos os parques?

A mesma atenção que recebemos nos parques da Disney, recebemos na Universal, Bush Gardens, SeaWorld, Legoland e Nasa.Uma coisa que me chamou atenção foi a quantidade gente com cadeira de rodas, mas todos eram bem respeitados e atendidos. Particularmente minha filha foi muito bem tratada em todos os parques.

ana paula6

Acesso a banheiros foi um problema? Se sim, como contornaram?

Como minha filha não usa mais fraldas foi mais fácil e sempre usávamos o banheiro familiar.

Deixaram de fazer alguma atração ou algum programa em função da necessidade da pessoa? Por que?

Atrações como montanhas russas, ou algo do tipo mais rápido que balançava muito nem me arriscava em levá-la, mas ela pedia, dizia que era corajosa, foi mais por precaução mesmo. Minha filha tem equilíbrio de tronco, mas por ser magrinha e cumprida, achei melhor ficar fora de aventura.

Onde ela se divertiu muito foi na Universal na parte de crianças mesmo como na atração do Cat in the Hat, que fomos 2 vezes, na parte do Simpsons, no carrossel… Muitos brinquedos tínhamos que tirá-la da cadeira e a colocava sentada e na chegada a cadeira estava perto.

Fizemos também o Serengeti Safari, no Busch Gardens foi maravilhoso; mas a minha filha amou. Dá para ver na foto a alegria dela. Ficamos aguardando como todos os outros participante e chegando no caminhão prenderam a cadeira dela com os cintos… Tudo muito cuidadoso.  Nos divertimos muito!!!

ana paula7

O que vocês fizeram e que não recomendam para pessoas com a mesma necessidade? Por que?

Tudo que fizemos valeu a pena, inclusive passar o dia 31 de dezembro em Epcot, escolhemos esse parque por ser maior e mais tranquilo e foi maravilhoso. Lá ela ia em todos os países para pegar o carimbo no passaporte.

Qual foi a forma de locomoção escolhida? Atendia as necessidades de vocês?

Alugamos um carro; pegamos uma Suburban. Carro perfeito com porta mala grande que coube a cadeira de rodas inteira e compramos no supermercado a cadeirinha e tudo deu certo.

O que ela mais gostou?

A Bia gostou de tudo, mas ficou muito ansiosa no dia de princesa; estava feliz da vida. Outra vez que a vi gritando de felicidade foi no Show da Shamu: gritava pela Shamu, batia palma, depois perguntei porque ela gritava feito doida, ela disse que assim a baleia jogaria água nela.

E o que menos gostou?

Muito tempo nas filas, como por exemplo no Toy Story; foram quase 2 horas, mas depois ela se divertiu no brinquedo.

Que recomendações ou conselhos vocês dariam para pessoas na mesma situação?

Às vezes deixamos de fazer alguma viagem ou até mesmo um passeio por conta das limitações dos filhos, mas temos que aproveitar. Nossa viagem para Orlando foi simplesmente mágica. Lá as coisas funcionam… respeito, carinho, atenção e o melhor de tudo: não olham com dó ou curiosos para minha filha. Diferente daqui que esbarram, olham, encaram e não respeitam.

Espero que o pouco que relatei sirva para ajudar.

Ana Paula, muito obrigada pelo relato. Com certeza vai encorajar outros pais na mesma situação.

Se você tem experiência com alguém que possu alguma necessidade especial e foi a Orlando e quer dividir conosco, mande-nos um email: [email protected]

Já conhece os serviços da Andreza?

5 thoughts on “Pessoas com necessidades especiais na Disney – A viagem da Ana Beatriz, cadeirante”

  1. Olá ! Lí esta reportagem e gostaria de saber se a Bia possui válvula para derivação (DVP). Meu filho tem 4 anos e passou por tudo isso que a Bia passou, prematuro, teve hidrocefalia e consequente PC. Ele colocou a DVP antes de completar 1 ano e o CID dele é G80.2 – Paralisia Cerebral Hemiplegica Espastica, que afeta a movimentação dos membros do lado direito , mas após anos de fisio ele anda e já consegue correr ! Enfim, meu medo maior seria a pressão durante o vôo prejudicar de alguma forma o funcionamento da válvula e meu filho passar mal ou ter algum tipo de problema posterior. Se possível, gostaria de maiores informações de pessoas que possam me ajudar nessa questão. Obrigada !

  2. Adorei o relato meu entiado Pedro e cadeirante e também tem hidrocefalia tem 13 anos queria saber se eles por portarem deficiência física tem algum desconto nos ingressos dos parques

    1. Oi,
      Adriana
      Nos ingressos não tem desconto para portadores de deficiência física.
      Fico a disposição
      Abraços e Obrigada

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *